Covid-19: tecnologia e comportamento do consumidor
Compreendendo os impactos do COVID-19 e de como a aceleração da tecnologia e a mudança no comportamento do consumidor mudam os negócios e o forma de morar!
Blogs e Colunas | Pensando a Cidade 17/09/2020 16h11 - Atualizado em 17/09/2020 17h18

Há muito tempo a humanidade não sentia tanto medo da incerteza. Faz tempo que nossa sociedade passou por adversidades de dimensões globais e na maioria mostrou que é possível combatê-las.

Ao longo da história verificamos que guerras, epidemias e revoluções puderam mudar o rumo da história humana e a atual Pandemia nos mostra seguramente que modos e costumes serão adaptados, mudados e, até, extintos.

Em 2014 Bill Gates apresentava sua palestra no famoso e renomado TEDTalks “the next outbreak we are not ready?” do português, “A próxima epidemia? Nós não estamos prontos”. Nesta apresentação Gates cita explicitamente sua grande preocupação com o alastramento de uma epidemia, citando como o exemplo o vírus de alta letalidade, o Ebola, que se manteve restrito há alguns países africanos. Ainda na apresentação ele cita, “se algo pode matar 10 milhões de pessoas nas próximas décadas não são misseis e sim os microrganismos”.

Para nossa infelicidade o empresário e filantropo estava correto e um vírus silencioso está entre nós, porém, até então, a proporção de mortes citadas por Gates está além da atual realidade, e esperamos que assim continue. Até hoje foram pouco mais de 700 mil vidas perdidas no mundo, o que mostra que realmente não estávamos preparados!

Impactos em Sergipe

Segundo previsões do FMI, o ano de 2020 terá a maior recessão Global em 90 anos, tanto para países desenvolvidos quanto para emergentes, e o nosso pequeno notável Sergipe já tem sido afetado pelas alterações globais com mais de 500 restaurantes fechados, 300 lojas de shoppings fechadas e mais de 160 mil desempregados, de acordo com a ABRASEL, ABRASCE e a DIEESE respectivamente.

Porém nem tudo é desespero e alguns setores seguem firmes e fortes pois, como sabemos, no capitalismo “o dinheiro apenas muda de mão e setores”, a exemplo dos supermercados e atacadistas, que apresentam tendência ao crescimento. Há também outros setores que conseguiram se adaptar aos negócios digitais, superando ou apenas mantendo suas estruturas em funcionamento, e um deles surpreendentemente foi o setor da construção civil de pequeno porte.

Vale a pergunta: como e por que?

A nova economia e a tecnologia

Surge uma nova forma de fazer negócio, que vem sendo difundida por todos os setores do mercado, através da digitalização da venda de serviços e produtos e a virtualização da comunicação de forma instantânea. Tal evolução oficializa a modalidade de trabalho home office para alguns negócios, atividades empresarias e postos de trabalho.

Esta flexibilização e praticidade da forma de trabalho permitiu que as pessoas usufruam mais de suas casas e seus espaços privativos, e é exatamente aí onde queremos chegar.

Seja em família grande ou até pessoas que moram sozinhas começaram a observar cada ponto da moradia que pode ser otimizado, que antes passava despercebido, abrindo uma janela interessante e curiosa para o setor da construção civil, assim como criando alguns incômodos antes imperceptíveis.

Toda essa alteração fez surgir um fenômeno que está acontecendo no Brasil inteiro, em que muitas famílias procuram refúgios, locais mais confortáveis e esteticamente agradáveis, aumentando a busca por casas e loteamentos, principalmente os que estão localizados em cidades adjacentes, algo que vem sendo observado nas regiões de praia e de serra do estado São Paulo, assim como de forma clara em Sergipe, pela volta da procura da região da Barra dos Coqueiros, ou em regiões mais afastadas do centro da capital, como a Zona de Expansão.

A prioridade deixa de ser a praticidade e a simplicidade da moradia em prol da proximidade do local de trabalho, e passa a ser a busca por morar bem, em um espaço que seja pessoal, mental e espiritualmente satisfatório, provocando, desta forma, um novo ciclo de migração de moradia e negócios para essas regiões adjacentes.

A nova dinâmica da Cidade

Todo hábito de consumo mudou!

Restaurante: delivery, reunião: vídeo chamada, lazer: reunião com a turma no zoom, balada: live no Youtube, compras: e-comerce (haja vista o estrondoso crescimento da Amazon durante a quarentena).

A criação deste ciclo fortalecido e acelerado pelo Covid-19 irá influenciar o desenvolvimento das cidades, levando as moradias para áreas mais afastadas dos centros urbanos sem que haja preocupação com esse afastamento, fortalecendo a importância da moradia e gerando outras e novas possibilidades para negócios em função das demandas populacionais nestas “novas” regiões.

Recentemente tivemos contato com o vídeo do rabino hassídico americano e Psiquiatra Abraham Joshua Twerski, o qual faz alusão a esse momento contando a História da Lagosta:

“ A lagosta é um animal mole em uma carapaça rígida. Quando ela cresce sente-se incomodada com sua casca e, para poder criar uma nova, o animal se esconde em cavernas ou pedras. A lagosta acaba fazendo isso várias vezes durante sua vida. A lição que fica é que o estímulo para a lagosta crescer é que ela se sinta desconfortável, e, assim, percebemos que em tempos de estresse, também são tempos de crescimento”.

Nos acompanhem na próxima publicação sobre: A Casa Multifuncional, entenda como a tecnologia está acelerando mudanças em nossa forma de morar.

Arquitetos - Empresários
Lucas Lima - Hugo Lobão 

Mais Notícias de Pensando a Cidade

Blogs e Colunas
Pensando a Cidade
<Re> Pensando a Cidade

Lucas Lima - Arquiteto e Urbanista (Universidade Federal de Sergipe), pós-graduando em Marketing (USP); Ex Conselheiro Sergipe na Confederação Nacional de Jovens Empresários (CONAJE); Presidente do Conselho Consultivo do Conselho Jovem da Associação comercial de Sergipe (CJE-SE); Coordenador de Eixo pelo Movimento de Inovação em Sergipe, através Federação do Comércio; Vice-Presidente/Diretor na Associação Comercial Empresarial de Sergipe (ACESE). Projetos de Arquitetura e Engenharia desenvolvidos em São Paulo, Bahia, Sergipe, Alagoas, Paraíba, Rio de Janeiro; Projetos com clientes como: Investe SP e Petrobras; Empresário voltado a negócios de base imobiliária e inovação; Sócio na Foco – Soluções em Projetos (atuando em projetos Industriais, Centros Logísticos,  Real Estate, Varejo/Retail, Saúde, Educacionais, Corporativos, Urbanos); Sócio no Grupo Rede Mais. 

Hugo Lobão - Graduado pela Universidade Federal de Sergipe, Pós-Graduado em Master em Arquitetura e Iluminação, Sócio-Proprietário e Gerente de Projetos da empresa Foco Soluções em Projetos, Conselheiro Estadual do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Sergipe, Conselheiro Fiscal do Instituto dos Arquitetos do Brasil Departamento Sergipe,  Especialista em Gerenciamento de Projetos com Foco em Inovação e Finanças, Palestrante de eventos relacionados a Arquitetura, Mercado e Inovação.  

E-mail: contato@arquiteturaemfoco.com

O conteúdo e opiniões expressas neste espaço são de responsabilidade exclusiva do seu autor e não representam a opinião deste site.